1.9.14

Rituais (A verdadeira vida de Ezequiel)

Este mês que passou, eu tirei para tomar algumas decisões. Mas antes de ir a elas eu precisava publicar um capítulo importante de minha vida.

Nos anos e meses antes de eu ser internado no manicômio, eu mantinha uma rotina de estudos de idioma, mas como eu não gostava de chamar muita atenção, eu evitava ao máximo que percebessem que eu estudava vários idiomas, e só deixava às claras que eu estudava inglês. De fato, eu estudava um idioma estrangeiro para cada dia da semana, estudando os cinco idiomas estrangeiros mais populares. O meu estudo de inglês era através de filmes, de cursos de idiomas na TV aberta, através de manuais de instruções de produtos estrangeiros e através de música.

Um de meus irmãos me emprestava manuais em idiomas estrangeiros que serviam aos meus estudos. E também permitia que eu usasse o quarto dele quando ele não estava para ouvir seus CD's estrangeiros...

Esse irmão às vezes era bem receptivo e hospitaleiro nesse quarto, e me incentivava a estudar inglês lá. A forma que eu estudava inglês era ouvindo músicas em inglês principalmente "Rock", "Hard Rock", e algumas bandas de "Heavy Metal", se não me engano. O quarto tinha sido pintado de escuro. Sempre havia uma vela de sete dias, enxofre era espalhado por vários cantos do quarto, e havia uma caveira, uma caveira de gesso, se não me engano.

Eu achava que não tinha nada de mais, ou melhor, talvez eu quisesse acreditar que eu achava que não tinha nada de mais, pois, talvez para o meu sub-consciente, significasse muito mais do que eu admitiria.

Na primeira vez em que eu fui internado, em 1999, eu ligava o rádio da sala e nada acontecia. E aí quando eu ligava a TV, o rádio funcionava mas a TV não. E quando eu ia e desligava o rádio a TV acendia. Hoje eu me pergunto, o que aconteceu com os aparelhos da sala não foi simplesmente minha mente e movimentos que tenham ficado acelerados, e que talvez os aparelhos estivessem ligando normalmente, e talvez eu apenas me precipitasse, não dando tempo para os aparelhos ligarem por completo?

Já em 2001, a coisa já se tornava mais complexa. Em 1999, os aparelhos ficavam estranhos e imprevisíveis. Em 2001, foram as pessoas que ficaram estranhas. Eu pensei, pensei, e talvez não consiga descrever bem com palavras, mas deixo dois vídeos que ajudarão as pessoas a terem uma ideia.

coloque-se no lugar de Denzel Washington no filme "Possuídos" (Fallen) e você terá uma ideia de como eu me senti. Exatamente como o Denzel Washington no filme.



E os olhos das pessoas sofriam algumas alterações, como vemos nos olhos das pessoas que aparecem no vídeo abaixo da série "Sobrenatural".




4.8.14

Golpes de algumas grandes empresas: antiético, mas legal!

Infelizmente, muitas grandes empresas lançam mão de um estrategista para INDUZIR o público a contratar os serviços, de uma maneira que não desrespeite nenhuma lei, mas continua sendo antiético.

Eu estou vendo um anúncio:
"Cursos técnicos. Faça sua matrícula e ganhe uma viagem." E, numa letrinha minúscula que quase necessita do auxílio de lupa para enxergar está escrito:
"Confira o regulamento no site. www.colegiotal.com.br/promocao" (O endereço que eu coloquei aqui é fictício.)

Ou seja, a ideia seria fazer que uma pessoa distraída pensasse que vai ganhar uma viagem automaticamente se fizesse a matrícula, quando na verdade há algum sorteio.

Obviamente é um golpe para ganhar fregueses, mas não há nenhum jeito das pessoas que caem em tal golpe possam recorrer à Justiça, pois apesar de ser um golpe, nenhuma lei é desrespeitada.

Outro exemplo:
Em 2006, eu acessei o site de uma grande escola de idiomas para fazer um teste para ver qual seria o exame internacional mais adequado ao meu conhecimento de um certo idioma. O teste indicou que o melhor exame para mim seria para o avançado (que comprovaria meu avançado conhecimento do idioma), mas que eu deveria visitar a escola para fazer exames complementares para confirmar. Eu visitei a escola e fiz um exame complementar com uma professora, no qual a professora seguramente disse que eu podia tranquilamente fazer o exame para o nível avançado... eu fiz a matrícula para o exame, mas no dia marcado tive um problema pessoal grave e acabei perdendo a primeira prova do primeiro dia do exame, e por isso fui OBVIAMENTE reprovado!

A avaliação que a professora tinha feito do meu nível de conhecimento do idioma estava totalmente CORRETA e JUSTA, mas agora eu vou explicar onde estava o golpe:
Ao fazer o exame, eu puder comprovar que eles não tinham avaliado meu nível em todas as matérias testadas pelo exame internacional. O exame internacional comprovou meu nível avançado na fala e na escrita, matérias que eu tinha sido avaliado pelo curso, mas o curso não avaliou OUTRAS duas matérias essenciais, eu pude ver que, mesmo se eu não tivesse perdido a primeira prova, EU SERIA REPROVADO! Pois eu me senti como a seleção brasileira na derrota de 7 a 1 para a Alemanha! Ou seja, o golpe existiu, mas como responsabilizar alguém, já que a professora fez as avaliações que mandaram que ela fizesse corretamente, e como alguém poderia reclamar que a avaliação não foi completa?

Eu pude perceber que meu nível de conhecimento do idioma estava abaixo do avançado, e que para passar no avançado levaria VÁRIOS ANOS de preparo cuidadoso ainda. Por isso eu nunca mais fiz o exame para o avançado. Somente hoje em dia eu conseguiria passar nesse exame avançado E AINDA ASSIM com uma certa dificuldade! Enfim, três anos depois eu fiz um exame para um certificado num nível abaixo do avançado e por fim consegui. Nota:
Existe um exame acima do avançado, que é considerado como nível igual a de um nativo universitário, enfim, nível universitário.

Em postagens futuras pretendo falar de golpes na educação, como o "Universidade para todos", que obviamente é um GOLPE, o golpe do "Ciências sem fronteiras", etc.

Duas coisas eu observei ao fazer exames internacionais, e essas constatações me chocaram:
É mais fácil passar no mais difícil vestibular brasileiro --vestibular para direito ou para medicina-- do que passar no nível mais fácil de um exame internacional, que é o nível elementar. (Elementar é abaixo do básico!) Por outro lado, é mais fácil um pobre conseguir um certificado internacional de idiomas NO NÍVEL MAIS ALTO do que entrar numa faculdade pública do Brasil. Observe que eu CONVERSEI com várias pessoas que tinham passado em vestibulares considerados dificílimos mas não conseguiam passar no nível mais elementar num exame internacional...

Isso porque os países que fazem os exames internacionais dão de goleada no Brasil no quesito ACESSO DEMOCRÁTICO E IGUALITÁRIO. Eu explicarei isso mais adiante.

27.7.14

Profissionais de saúde que não respeitam os direitos dos pacientes

O jornalismo do SBT flagrou vários médicos batendo ponto e indo embora sem trabalhar. Veja no vídeo do Facebook, abaixo. No CAPS acontecia algo parecido, mas não eram apenas médicos, eram profissionais de várias especialidades.



O pior não é eles baterem ponto e irem embora, mas o pior é a arrogância que eles demonstram, como podemos ver no vídeo. No CAPS, eles, às vezes decidiam TODOS sair BEM mais cedo, e simplesmente ENXOTAVAM os pacientes, mandando todo mundo embora. Se ao menos eles pedissem com educação. Esse foi um dos principais motivos que me levou a me afastar do CAPS.

21.7.14

Fome, sede e exploração sexual de menores na África e na Ásia - Uma situação absurda que não tinha que ser

Desnecessário dizer que se investíssemos menos em guerras e armamentos, já não haveria a absurda fome que há no mundo; e se houvesse um olhar mais atento da parte dos donos de restaurantes e do comércio de alimentos, haveria fartura de comida para todos, visto o desperdício gerado pelos ENCALHES que vão para o lixo.

Isto é explicado de maneira clara no vídeo abaixo.

Sam e Ester Uganda - Crianças morrendo de fome na África AO VIVO Emocionante!



A principal causa da sede na África não é por causa do terreno, mas sim por causa da falta de compromisso de autoridades de todo o mundo. A iniciativa do jovem canadense Ryan Hreljac mostra que com boa vontade é possível sanar esses problemas. Ryan desenvolveu um projeto que cria poços para aliviar a sede em Uganda e em toda a África.

Return To Ryan's Well



No Japão há as Gueixas. No Afeganistão há os Batchas. No Afeganistão, há uma forma de diversão para homens um tanto mais esquisita, através da exploração sexual de garotos menores de idade, numa prática conhecida pelo nome BACHA BAZI.

Frontline The Dancing Boys of Afghanistan



Todos os problemas relatados acima seriam evitados se as nações respeitassem os Direitos Humanos no ponto mais básico:

Artigo 1°
Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade.

Essas questões estariam resolvidas se simplesmente as nações se preocupassem menos em fazer armas e se preocupassem mais em aproveitar as toneladas de comida farta e boa que vai para o lixo em nosso mundo.

19.7.14

Quanta gente sem água limpa...

"Já imaginou como seria a vida sem água limpa?" É a pergunta que é feita no início do vídeo do empreendedor social Ryan Hreljac:



Sim. Eu sei como é a vida sem água limpa. Onde eu morava, na Baixada Fluminense, não havia água; e eu tinha que pegar água das goteiras quando chovia. Para beber, eu esperava a terra preta do telhado que infestava a água da goteira assentar, daí eu fervia a água para matar as larvas VISÍVEIS que se encontravam lá, e depois colocava no congelador, pois eu sabia que ferver água e depois congelar era mais garantido para matar micróbios. Só então esperava o gelo derreter e bebia.

Eu fiz a história em quadrinhos "O ladrão foi lá em casa" para descrever um pouco do meu próprio dia-a-dia e fazer humor disso.

História em quadrinhos que eu fiz em 1994. Nesta aventura do Lagartixa, o personagem cobrador do aluguel reaparece. Apesar de haver alguns termos de baixo calão, esta é uma de minhas historinhas mais inocentes...


Clique aqui para abrir a história em quadrinhos em outra janela, onde você poderá clicar de novo e ver em tamanho bem maior.


Clique aqui para abrir a história em quadrinhos em outra janela, onde você poderá clicar de novo e ver em tamanho bem maior.


Clique aqui para abrir a história em quadrinhos em outra janela, onde você poderá clicar de novo e ver em tamanho bem maior.


Clique aqui para abrir a história em quadrinhos em outra janela, onde você poderá clicar de novo e ver em tamanho bem maior.

Primeiro publicado em 04 de maio de 2014 e atualizado em 19 de julho de 2014.

11.7.14

Sequelas do abuso sexual incestuoso

Recebi alguns comentários na publicação Abuso sexual intrafamiliar - O incesto entre irmãos. Em um deles, uma mãe está preocupada porque o filho de 12 anos tirou a roupa da irmã de 17 quando ela essa estava dormindo e tirou fotografias. Nesse caso, não deve se tratar de incesto, mas sim um trote, em que esse irmão pretendia mostrar as fotos para os amigos para se vingar da irmã.

Num outro comentário, uma moça comentou sobre o caso de vítimas de abusos sexuais desenvolverem complicações sexuais. Sem dúvidas, ela tem razão. antigamente eu me sentia culpado por não conseguir ter relacionamento com meninas que estavam afim, mas que eu acabava cometendo um erro qualquer, uma aproximação errada e a menina acabava me odiando. Mas hoje em dia eu sei que eu fiquei com problemas graves de relacionamento devido aos abusos da infância. Hoje em dia eu sei que não sou culpado, mas também estou ciente que seria muito difícil eu consegui um relacionamento com uma mulher, pois cedo ou tarde eu acabaria cometendo uma aproximação errada e ela acabaria me odiando. O fato de ser que a culpa não é minha ao menos me deu um alívio.

10.7.14

Os governantes dos Estados Unidos parecem querer manter o próprio povo desinformado sobre suas políticas

Como mostrado anteriormente, O inglês NÃO é a língua oficial dos Estados Unidos. Vale lembrar que Os Estados Unidos sempre receberam imigrantes de vários países, de várias línguas. O inglês é a língua mais falada por lá, mas o espanhol também é muito falado. Tanto que há a "Academia norte-americana da língua espanhola". Vale notar que, inclusive, os Estados Unidos teve um presidente cuja primeira língua NÃO É o inglês, o presidente Martin Van Buren.

O interessante é que a maioria dos estadunidenses sequer sabe disso. A impressão que eu tenho é que os governantes dos Estados Unidos buscam manter o povo no escuro sobre questões políticas, talvez para evitar serem contestados em suas atividades. Veja o que diz uma apresentadora dos Estados Unidos:

Sabe, é muito frustrante, pois sempre que eu viajo para fora deste país, encontro pessoas, pessoas australianas, por exemplo, sul-africanos, canadenses, eles não apenas prestam atenção na política de seus países, mas eles prestam muita atenção na política dos Estados Unidos. Eles estão mais bem informados do que nossos cidadãos americanos. O que é bem chato.

Veja o link do vídeo abaixo, e logo mais abaixo, a transcrição em inglês original.

Why I'm Voting For Mitt Romney Video Breakdown (5:08)

Transcription:
You know, it's just really frustrating because any time I travel out of this country and I come across people, you know, like Australians, for instance, (ah...) South Africans, (they pay...) Canadians, they pay close attention not only to the politics in their own country, but they pay close attention to the politics in the United States. They're better informed than our own, you know, American citizens. Which is so fucking annoying. Because, when you see people like that... look, it's not an accurate depiction of most Americans, so I think that's not fair, but... a huge chunk of this country is so uninformed when it comes to political issues, and they vote based on what they learn from Fox News or the mainstream media, and that's problematic.

Devo editar e atualizar esta postagem mais tarde e adicionar mais detalhes.