26.11.14

Mães solteiras e solteironas (A verdadeira vida de Ezequiel)

Se eu chegar aos 70 anos com saúde, pretendo entrar na política; pretendo enviar um projeto de lei para controle populacional:
Pretendo criar uma lei para castrar todos os homens que fazem filhos e deixam a mulher desamparada, mãe solteira; ou levada a cometer aborto, ou sofrendo com um aborto natural, ou morta num aborto clandestino, não sei o que é pior. Ao ler o capítulo de minha vida que relato abaixo, você vai entender porquê.

Quando você ler sobre os flertes que tive desde que saí do manicômio em 2001 até 2012, quando fui internado pela última vez, você vai entender claramente por que pretendo enviar um projeto de lei para castrar esse tipo de homem:

Em 2002, poucos meses depois de sair do manicômio conheci a mulher que vou chamar de "Beautiful Chick", nome da música que compus para ela:

(Abaixo, um trecho da música)

Your eyes small and tender
Your lips I can't remember
Can't even keep my eyes
Oooo-off you!

Beautiful Chick...
Can't live my life without your love
Beautiful Chick...
I'll be the hand, you'll be the glove!

At least you could give me the chance
Of watching you passing by
And will come to your attention a letter
With all the tears I cried!


Ela tinha 35 anos, e eu 25; ela era evangélica e não tinha filhos, era uma belíssima solteirona. Como ela me deu um fora, reclamando que eu não deveria cantar a música para ela perto de todos, eu passei a reparar na Silvanice, que também estudava na mesma sala. Para a Silvanice eu escrevi o poema abaixo:

Voglio che sappia, Silvanice
Che non è una cosa semplice
Vivere senza di te
Non mi sono mai dimenticato
Né di tue gambe, né di tue guance
Mi credi Silvanice

È desiderio a ultima vista
Ed io conto sulle dita
Le ore per rivederti
Ogniqualvolta ti vedo
Aumenta il desiderio
Allora non lasciarmi nel freddo
Silvanice, ti chiedo

Non voglio che spogliarti
Piano, piano, tutto qui
Voglio essere fuori e dentro te
Per sempre farti gemere...


Terminei o Ensino Fundamental e no ano seguinte, 2003, comecei o ensino médio. Logo fiquei sabendo que Silvanice tinha engravidado, seria mãe solteira. Aí eu comecei a notar a Vanessa, mas Vanessa tinha apenas 17 anos, muito novinha. Por isso achei melhor ir devagar com a Vanessa, esperar que ela ficasse mais velha para investir nela mais a fundo. Mas Vanessa também logo ficou grávida de algum cara que não tinha minha honra e que jamais assumiria qualquer coisa.

Na época em que eu fazia Ensino Médio conheci também a Diana. Eu nunca fiz nenhuma investida na Diana, pois ela era mãe, e era difícil para mim acreditar que algum homem abandonaria aquela bela mulher.

Em 2008 eu conheci outra moça, que me disse que tinha 17 anos. Por ela ser tão novinha também, eu fui cuidadoso ao lidar com ela. Porém, anos depois eu descobri que ela era bem mais velha que a idade que ela me deu, e infelizmente, enquanto eu lutava por direitos humanos, sem ao menos ter condições para ligar para ela, também descobri que ela também tinha engravidado no período em que eu sequer podia ligar para ela. Quase todas essas mulheres que iam virar mães solteiras que eu conheci sofreram aborto natural ou provocado.

Por isso e outras e outras coisas que eu acho que homens que fazem filhos de maneira irresponsável e deixam a mulher desamparada deveriam ser castrados.

25.11.14

Hora de ir às ruas: Protesto pelos direitos dos pacientes psiquiátricos / Protesto pelos direitos dos egressos de manicômios

Há vários meses que venho preparando esse texto com essa lista. Eu estou me preparando para ir às ruas protestar por melhor atendimento psiquiátrico num futuro bem próximo; mas o protesto de um egresso de hospital psiquiátrico não pode ser tirando a roupa, como o pessoal do movimento gay faz, senão, alegam que o paciente psiquiátrico está em surto. Mas imprimirei esse texto e outros e buscarei fazer que as pessoas na rua vejam.

Alguns direitos de todos pacientes psiquiátricos que precisam ser efetivados:
Internações psiquiátricas devem ser em leitos de hospitais gerais, depois, se o caso for muito grave, transferir o paciente para um hospital psiquiátrico. Caso muito grave, obviamente é quando o paciente, depois de dias, não consegue realizar tarefas básicas, como comer e fazer higiene básica, e não por um DECRETO do psiquiatra.

Só existe internação involuntária na psiquiatria, portanto internação involuntária deve ser abolida, os pacientes psiquiátricos deverão ter direito à escolha, e se o paciente estiver podendo se expressar, obviamente não há nenhuma necessidade de mantê-lo internado contra sua vontade.

Caso o paciente tenha cometido um crime, ele deverá ser julgado como qualquer outra pessoa, com direito a advogados, e aí sim, poderá haver uma internação COMPULSÓRIA decidida por um juiz e por um júri, pois pacientes psiquiátricos devem ter o mesmo direito a julgamento que todas as pessoas têm.

Exames médicos gerais devem ser feitos nos pacientes psiquiátricos antes da prescrição de qualquer psicotrópico, pois é óbvio que o paciente pode ter se alterado mentalmente por alguma causa física, portanto EXAMINAR o paciente com exames laboratoriais e raios X é essencial.

Deve haver cursos profissionalizantes dentro dos hospitais psiquiátricos e dentro dos Centros de Atenção Psicossocial para que os pacientes possam ter uma boa posição no mercado de trabalho; assim como incentivos para a formação acadêmica dos pacientes, como um curso pré-vestibular com professores bem preparados, também dentro das instituições psiquiátricas.

Investimentos MACIÇOS devem ser feitos para que os pacientes possam receber, através de empregos que garantam a esses pacientes mesmo a possibilidade de ESCOLHER o melhor tratamento para si e ter condições de pagar por tal tratamento, gerando auto-sustentabilidade e dignidade. Aposentar ou interditar pacientes psiquiátricos jovens é uma ofensa a sua dignidade, pois esses jovens PODEM ser qualificados para receber BEM MAIS que o salário de uma aposentadoria ou interdição, e TÊM DIREITO e MERECEM, como seres humanos, serem incentivados e preparados para trabalhos dignos para atender suas necessidades.

Deve haver a substituição de psicotrópicos por medicina alternativa. É preciso passar uma Lei para que todo curso de medicina insira uma extensão do curso para formação dos profissionais em medicina ortomolecular e homeopatia.

Sempre quando um paciente ficar pior após prescreverem determinada medicação deverá ser FORMALMENTE considerado ERRO MÉDICO, e tal erro médico deverá ser levado ao ministério público; e o profissional que prescreveu a medicação errada deverá ser submetido a um JULGAMENTO POR ERRO MÉDICO. Isso porque são vários os casos de pessoas que foram prescritas antidepressivos e ficaram com MANIA e pioraram. E apesar de tal erro médico ser muito constante, os profissionais que o cometem NUNCA vão a julgamento por tal erro grave.

Os psiquiatras devem respeitar a vontade dos pacientes de deixar de tomar um determinado psicotrópico, ou todos; e devem supervisionar a retirada dos psicotrópicos para a segurança do paciente.

Informações claras sobre os psicotrópicos devem ser passadas para todos os pacientes psiquiátricos. Exemplo, os psiquiatras devem informar que os psicotrópicos podem ajudar, mas que podem causar danos cerebrais e outras doenças se usados por muito tempo, e que causam dependência química e que só podem ser retirados com supervisão médica.

Todos os pacientes psiquiátricos que estão em acompanhamento no setor público de saúde mental devem ter o direito de viajar no transporte público apenas mostrando uma receita médica ou agendamento de consulta ao motorista; pois todos sabemos que um grande número dos pacientes atendidos no setor público são de baixa renda ou com NENHUMA RENDA e, muitas vezes, o paciente acabou de sair de uma primeira internação, e para tirar um cartão de passe livre leva um tempo, e um monte de burocracia desnecessária.

É necessário tornar abuso sexual intra-familiar crime hediondo, inafiançável, e IMPRESCRITÍVEL, por se tratar de uma das principais causas de doenças mentais. A cada novo paciente grave na área da saúde mental, uma INVESTIGAÇÃO POLICIAL deve ser feita dos parentes, para verificar se houve abusos sexuais NO PASSADO, ou se houve qualquer outra forma de abuso ou exploração contra esse paciente.


(Últimas atualizações: 17/03/2014 , 01/10/2014, e 14/11/2014)Hundert Sechsundzwanzig

(再生回数 90 回)
+
(再生回数 36 回)

14.11.14

Encontros da Luta Antimanicomial e da Reforma Psiquiátrica: 'Tou fora

Alguns acontecimentos me levaram à decisão. É que o que chamam de "Encontro Nacional da Luta Antimanicomial" pode ser qualquer coisa, menos Antimanicomial. Um dos encontros dos que dizem defender a "Reforma" era feito no manicômio Philippe Pinel, do Rio de Janeiro; ou seja, enquanto SUPOSTAMENTE discutíamos LIBERDADE e INCLUSÃO, alguém era amarrado na cama.

Tomei a decisão ao refletir sobre a dificuldade de defender meus direitos quando sofro preconceito por ser pobre. Ao sofrer um preconceito absurdo no Metrôrio e ver que ninguém ouvia os protesto de um pobre, percebi que ouviriam menos ainda os protestos de alguém rotulado como louco, ouviriam menos ainda protestos de um paciente psiquiátrico contra maus tratos da família, por exemplo. No metrô, ao passar na catraca com o meu bilhete pré-pago, o agente de segurança olhou para minha roupa velha, me pegou pela gola, me jogou para fora e disse que eu tinha que pagar a passagem. Nem adiantou eu protestar e dizer que eu não estava entendendo. A minha roupa velha falou mais alto. Quão mais alto não falaria meu diagnóstico de "transtorno mental"?

Esse pessoal que diz defender a "Reforma" sabe da nojeira que é uma internação psiquiátrica. Não fazem nada para mudar isso PORQUE NÃO QUEREM. Estou fora desses encontros fajutos. Arranjarei outra forma de defender direitos.


Num comentário no blog perguntaram "Por que não tem psiquiatra no SUS?" e um outro comentário numa outra postagem responde a pergunta com outra pergunta: por que prescrevem tantos psicotrópicos ao tratar pacientes psiquiátricos se existem outras terapias mais eficazes?

Bem, não há psiquiatras no Sistema Público de Saúde por que HÁ psicotrópicos. Com psicotrópicos, os problemas são resolvidos num atendimento rapidinho; assim, basta contratar uns poucos psiquiatras para atender um montão de pacientes.



(01/10/2014 - Atualização)Zweiundvierzig

(再生回数 42 回)

12.11.14

SUS: Socialismo na prática

Sistema Único de Saúde é um bom exemplo de como é o socialismo. Tratamento igual para todos, como num governo socialista. Mas, infelizmente, essa igualdade socialista só fica no papel.

Há discriminação regional no SUS, ou seja, as melhores instituições de saúde estão nas regiões mais ricas, e eles chegam a se recusar a atender pessoas de áreas mais pobres, alegando que essas pessoas estão "fora de sua área". Eu mesmo passei por uma situação dessas quando me colocaram para fora do "Instituto Philippe Pinel", dizendo que eu estava fora de área.

Há outro problema nesse Sistema Único de Saúde socialista:
Os CAPITALISTAS bem sucedidos não usam esse Sistema Único de Saúde, ou seja, os ricos não usam o Sistema Único de Saúde, pois preferem usufruir de seu dinheiro para ESCOLHER um médico sem precisar de pegar filas e de acordo com suas necessidades.

Mas em outros países há programas bem socialistas como o Sistema Único de Saúde, e que são muito elogiados... como a Saúde Pública da Dinamarca, ou a Educação Pública da Finlândia. O sucesso da saúde pública na Dinamarca e da educação pública da Finlândia é pela forma que foi implantado:
Os governantes de lá deram CARTA BRANCA aos profissionais públicos para que esses profissionais organizassem suas áreas, sem DECRETOS forçosos, como acontece no Brasil...

Porque os dinamarqueses são o povo mais feliz do mundo

Destino Educação - ep. 02 - Finlândia

Alguns governos socialistas querem fazer algo que eles chamam de "acabar com os privilégios dos ricos", assim ricos também seriam OBRIGADOS a se submeter a consultas médicas de dois minutos, como os pobres, para que haja "igualdade" socialista.

(O vídeo abaixo mostra o povo pobre sendo obrigado a se submeter a um atendimento médico de dois minutos, em Minas Gerais, Brasil.)

Ipatinga: "posto de saúde" do centro da cidade



Por isso que na Venezuela socialista o povo está protestando até a morte!

Mesmo se os profissionais de saúde do Brasil fossem os melhores do mundo, com uma consulta de dois minutos é IMPOSSÍVEL haver um bom atendimento. Essa saúde pública brasileira não passa de uma ESMOLA para o povo.

Aliás, devo tirar o chapéu para o blogueiro de MEMÓRIAS DE UM ESQUIZOFRÊNICO, por ter gravado o vídeo que mostra o atendimento médico em Ipatinga-MG.

Eu já tive atendimento psiquiátrico em ambulatório. A psiquiatra até que era boa, mas com dois minutos de três em três meses, logo fui internado, pior que antes. Dai fui para o CAPS (Centro de Atenção Psicossocial). Pior. A gente passava o dia todo sem fazer nada. Antes no CAPS até que o atendimento era longo, mas depois chegou a era da escassez de psiquiatra...

CAPS são como uma prisão semi-aberta para nós egressos de manicômio. Uma vez ou outra alguns dos considerados crônicos tentavam sair e eram impedidos. Eu já fui impedido de sair pelos guardas, também.

81% contratam pessoas com deficiência só 'para cumprir lei'

Apenas 4% acreditam em potencial, diz pesquisa da ABRH, Isocial e Catho.
Pós-graduado, profissional com deficiência acabou trabalhando em limpeza.


É difícil um empregador contratar uma pessoa que esteve internada num manicômio. Se eu fosse julgar um empregador por isso, eu estaria sendo mais preconceituoso que ele. Basta que eu me coloque no lugar de um empregador:
Será que eu teria coragem de contratar alguém como eu, que chegou no manicômio amarrado e sangrando, numa confusão total? Como empregador, será que eu pensaria em contratar alguém que, depois de passar tudo isso, ficava o dia todo no manicômio, sem nada para fazer a maior parte do tempo, num ostracismo que quase atrofia a mente?

Esse sistema psiquiátrico não prepara os pacientes para a vida. Como eu, depois de ter passado, em surtos e em manicômios, TUDO que descrevi nesse blog e em OS CASARÕES, poderia, por exemplo, ter algum relacionamento afetivo? Não daria para culpar uma mulher, colocando-me no lugar de uma mulher, se eu fosse mulher, teria coragem de ter um relacionamento afetivo longo com um homem que, para falar apenas do menos grave, no manicômio, corria atrás da mulherada para beijá-las?

Quando eu saí do manicômio em 2001, já via com clareza a situação desesperada em que eu me encontrava. Nas conferências de saúde mental, mandavam-me calar a boca quando eu pedia a criação de cursos profissionalizantes em todas as instituições psiquiátricas. Eu me cansei de tolerar essa gente me mandando calar a boca e me tratando com desrespeito.

Passar o dia todo olhando para as paredes, como passávamos nos CAPS, é um grande DESPERDÍCIO de dinheiro público. Cada segundo que um paciente psiquiátrico passa numa instituição psiquiátrica deveria ser empregado para colocá-lo no mercado de trabalho.

É essencial que egressos de manicômio tenham acesso a terapia com um psicoterapeuta quanto tempo esse paciente achar necessário, e poder falar com um psicoterapeuta de SUA ESCOLHA. Investimentos MACIÇOS devem ser feitos para inserir egressos de manicômio numa BOA posição no mercado de trabalho para que essa pessoa possa ter recursos econômicos para buscar a melhor terapia para si, pois por mais rico que seja um país, esse país TALVEZ não possa pagar sempre pelo MELHOR TRATAMENTO que o paciente precisar. POR ISSO não dá para economizar nos projetos de inserção no mercado de trabalho, como faz esse sistema psiquiátrico que prefere aposentar pacientes jovens.

Não acabei ainda, mas creio que mostrei, do ponto de vista de um egresso de manicômio, que saúde pública não deveria ser OBRIGATÓRIA para os pobres, mas sim uma opção num mundo justo, em que as pessoas pudessem ESCOLHER entre pagar ou recorrer ao público.

Saúde democrática é quando o povo pode ESCOLHER com quem quer se consultar. Isso é DEMOCRACIA.

11.11.14

Crime e chamtagem - Futuro mais incerto que nunca

Este relato é, antes de mais nada, para trazer a reflexão um tipo de situação complicada que várias pessoas diagnosticadas com doença mental passam.

Eu já tinha relatado aqui sobre um irmão meu que anos atrás tinha sido preso por estupro. Esse mesmo irmão cometeu outro crime contra uma mulher há poucos dias: Esse meu irmão invadiu a casa da mulher e roubou R$1500.

Ele era casado com a mulher e se separou há cerca de dois ou três anos e veio morar na casa da mãe. Há poucos dias, essa mulher veio procurar por minha mãe, mas como minha mãe não estava, ela falou comigo, queixando-se que meu irmão tinha invadido a casa dela e que ela estava ligando para a polícia. Ela não me disse diretamente o que ele tinha feito, mas quando ela se afastou um pouco para falar com a polícia, eu pude ouvi-la falando com a polícia que ele tinha roubado R$1500. Depois de esperar pela chegada de minha mãe, ela foi embora, e por coincidência, logo em seguida minha mãe chegava pelo lado oposto. Fui correndo atrás da mulher e consegui alcança-la para avisar que minha mãe tinha chegado.

Não ouvi a conversa entre minha mãe e ela, mas parece que minha mãe decidiu pagar pelo dinheiro que meu irmão roubou para evitar que ele seja preso.

Eu estou relatando aqui, pois vou buscar justiça, pois senão, esse meu irmão passará o resto da vida cometendo crimes contra mulheres, com a certeza da impunidade. Infelizmente, esse meu irmão costuma fazer chantagem emocional, dizendo que estou com raiva dele. Eu apenas não aceito os crimes, pois sempre trabalhei a minha vida toda honestamente.

Infelizmente, dinheiro na nossa sociedade obstrui a justiça. Provavelmente a menina que meu irmão estuprou também retirou a queixa por dinheiro, e provavelmente por alguma chantagem também. Creio que a Lei Maria da Penha deveria levar em conta a lábia de homens que cometem crimes contra mulheres, o uso de suborno e ameaça para que as mulheres retirem a queixa.

Mas eu pretendo lutar para que haja JUSTIÇA. Desde que meu irmão veio morar com minha mãe, causou-me vários problemas também. Ele atrapalhou meus estudos, e criou problemas com um trabalho que eu ia fazer em casa para ganhar dinheiro. Também convenceu minha mãe a comprar coisas para ele e não me emprestar dinheiro, um dinheiro que eu ia usar para começar a trabalhar.

Claro, para levar adiante essa busca por justiça, terei que me expor, portanto, meu futuro estará mais incerto que nunca.

8.11.14

Talvez o comunismo seja melhor que o capitalismo

Talvez o comunismo seja um melhor sistema que o capitalismo. Comunismo poderia funcionar muito bem, inclusive anarquismo poderia dar certo. Qualquer sistema de governo pode ser bom, desde que estabelecido com democracia e aceito pela vasta maioria do povo. Esse tem sido o principal problema do comunismo!

Uma das características do comunismo é tentar fazer uma "revolução". Mas NÃO É POSSÍVEL haver "revolução" sem que todas as partes cedam. Revoluções que funcionam acontecem de forma pacífica, como a revolução de Martin Luther King, Jr., por exemplo.

De acordo com os ideais de Karl Marx, a "revolução" comunista é muito boa para o povo, pois traz "justiça social". E Marx, infelizmente, acha que para conseguir a "revolução" o povo deve até fazer guerra, ou fazer uma "ditadura do proletariado". Karl Marx e os fanáticos do comunismo apenas esquecem que quem está se opondo ao comunismo também é parte do povo, os patrões também são parte do povo, e não vão querer viver sob uma "ditadura do proletariado"!

El video que Tanto oculta Nicolas Maduro



disparo a estudiante por la guardia nacional en la av. francisco de miranda

Todos os países que experimentaram o comunismo, experimentaram à força, e não por opção. Muitas vezes o comunismo parece chegar de forma democrática, mas a principal característica da democracia é a ALTERNÂNCIA DE PODER, e infelizmente, todos os governantes que querem fazer uma "revolução" comunista buscam fazer alguma manobra para continuar no poder.

7.11.14

Como egresso de manicômio, estou de mãos atadas

Como egresso de manicômio, perdi meus direitos de cidadão. Por falar em direitos, mulheres também têm uma dificuldade para tomar posse de seus direitos. Existe um machismo instalado que às vezes sequer percebemos.

A torcedora do Grêmio, no meio de vários homens, futebol, esporte preferido por homens, por que só pegaram uma mulher para acusar de racismo? Não foi um caso de racismo, foi um caso de MACHISMO. Patrícia Moreira, eu sou homem e sou negro, e os que te acusaram não me representam. Você foi vítima do machismo de nossa sociedade.

Link:
ENCONTRO COM FÁTIMA BERNARDES - Fátima Bernardes no Encontro a torcedora do Grêmio acusada de racismo | globo.tv

Link de vídeo do Youtube:
Patrícia Moreira

Link de vídeo do Youtube:
Celso Portiolli entrevista a Patricia Moreira a garota acusada de Racismo

Link de vídeo do Youtube:
Pelé critica postura do goleiro Aranha em caso de racismo

É bem verdade que muitas vezes mulheres são más com homens, mas o machismo contra as mulheres atinge níveis alarmantes. Um grande número de homens acham que têm o direito de bater em mulheres. Onde eu moro, eu já vi o marido da vizinha da direita batendo nela, e já vi a vizinha da esquerda apanhando do namorado, sem nenhum motivo, apenas porque a mulher "desobedeceu". Nesses momentos eu me sinto de mãos atadas. Geralmente eu denunciaria, mas eu estive num manicômio, e poderiam dizer que eu estava delirando. É assim que o sistema psiquiátrico tirou minha cidadania. Eu não posso mais denunciar injustiças, pois, na prática, não sou mais considerado cidadão.

Às vezes eu pensava que talvez eu devesse intervir. Talvez eu não fosse forte o bastante para vencer uma luta contra esses covardes, mas ao menos ia ser mais difícil enfrentar alguém bem maior que a mulher. Mas aí eu pensava nas consequências:
Um indivíduo que bate em mulher sequer vai preso; e se eu batesse nesses homens covardes, poderiam considerar que eu estava em um surto violento que me fazia perigoso, e só por isso, talvez eu passasse o resto da vida no manicômio.

Um homem que bate na mulher está a meio passo de se tornar um explorador de mulheres. Abusadores sexuais que aliciam menores usam de lábia, da mesma forma que estupradores médicos, que estupram mulheres sedadas, na mesa de operação. Eles são bons de lábia e veem mulheres como lixo. Basta ver a opinião do médico estuprador Roger Abdelmassih:
Roger Abdelmassih: “Mulher é um bicho desgraçado”

Estuprador, abusador sexual = explorador de mulher.

Uma das grandes vergonhas de minha vida é ter um irmão que esteve preso por estupro, e ver a forma que ele explora mulheres, inclusive a própria mãe. Sempre me vi de mãos atadas, por não me verem mais como cidadão.