16.10.09

Paciente psiquiátrico ou ex-paciente psiquiátrico?

Me preocupa o crescente número de pessoas se declarando PACIENTE PSIQUIÁTRICO com orgulho. É que paciente psiquiátrico na verdade é quem está internado num hospital psiquiátrico, e não quem está em tratamento ambulatorial. E, lógico, não é motivo de orgulho.

O nome deste blog é PACIENTE PSIQUIÁTRICO por um trocadilho, um jogo de palavras, como eu já disse inúmeras vezes. Eu sou PACIENTE PSIQUIÁTRICO, pois tenho PACIÊNCIA. Paciência, inclusive, para aguentar ser chamado de paciente o tempo todo no CAPS.

É chato e desagradável ver que os profissionais que lá trabalham aparentemente desconhecem a história da saúde mental no mundo, desconhecem a história do estigma. É chato ver que nossos governantes não se preocuparam muito com a formação desses profissionais. Do contrário não chamariam usuários de CAPS de pacientes. Eu até entendo que um psiquiatra, numa consulta, chame um usuário, cliente do CAPS, de paciente.

Numa consulta é normal a gente ser paciente de um psiquiatra, psicólogo, nutricionista, terapeuta ocupacional... mas o perigo é quando a gente vira paciente da enfermeira, do copeiro, do faxineiro, do segurança, do pedreiro que vem fazer obra no CAPS, enfim, o problema é quando TODO MUNDO ESTÁ CHAMANDO A GENTE DE PACIENTE indiscriminadamente. Esse pessoal nem dá consulta para gente. Aí virou bagunça. (NOTA: é claro não é apropriado psiquiatras e terapeutas chamarem a gente de paciente fora de uma consulta. Lugar e momento de chamar de paciente é nas consultas.)

Mas o problema é que o CAPS é um CENTRO DE CONVÍVIO. As pessoas não fazem consultas o tempo todo. Elas convivem lá o tempo todo, e num tempo menor fazem consultas. Se o objetivo é RESSOCIALIZAR o melhor seria evitar de chamar as pessoas de PACIENTES o tempo todo, já que esses usuários de CAPS passam grande parte de seu tempo nos CAPS. (Se não a maior parte do tempo.)

E se essas pessoas são chamadas de pacientes no lugar que deveria RESSOCIALIZAR realmente elas estão sendo condenadas a viver no hospício para sempre, pois quando esses profissionais DESQUALIFICADOS chamam as pessoas de pacientes psiquiátricos o tempo todo eles estão praticamente dizendo "você é doente, está INTERNADO no hospital por isso", e CAPS não é hospital, nem internação. Ou não deveria ser.

Por isso existem certos usuários no CAPS que vivem pedindo ALTA. Os profissionais do CAPS dizem para a pessoa que ela não está internada. Mas a pessoa continua pedindo alta. Se ela não está internada, por que é chamada de paciente o tempo todo? Por isso o ambiente parece uma internação. Infelizmente. Se a maior parte de seu tempo você é chamado de paciente você está internado, caramba!

Em resumo, você que segue um tratamento psiquiátrico não é PACIENTE PSIQUIÁTRICO o tempo todo. Era quando estava INTERNADO. É quando está fazendo uma consulta. Observe que fora do hospital psiquiátrico Austregésilo Carrano se auto-denominava EX-PACIENTE PSIQUIÁTRICO. Assim como outros ativistas dos movimentos de usuários (consumidores) de saúde mental. (Movimentos dos EUA, já que no Brasil tais movimentos infelizmente inexistem, como já disse anteriormente.)

Para você profissional de saúde mental que tem interesse em se preparar um pouco mais eu sugiro que leia CANTO DOS MALDITOS, de Austregésilo Carrano e O MOVIMENTO DE USUÁRIOS EM SAÚDE MENTAL DOS ESTADOS UNIDOS, de Richard Weingarten, só pra começar.

P.S.: Eu não pretendia fazer uma postagem sobre esse tema, queria fazer apenas uma nota breve. Mas esse assunto dá pano pra manga.

Nota sobre o CAPS Rubens Corrêa

Algo que eu não comentei aqui é que, contrariando todas minhas espectativas, a administradora e a nutricionista do CAPS que iam sair do serviço por ordem dos políticos da saúde mental acabaram ficando no serviço.

Isso provavelmente graças ao abaixo assinado feito pelos usuários. Isso muito me surpreendeu, pois nunca levei esses políticos da saúde mental a sério. E essa atitude deles foi um sinal de seriedade.

Isso também mostrou que eles estão dispostos a ouvir os usuários, pelo menos em parte. Se ao menos nós usuários de saúde mental, EX-pacientes psiquiátricos, nos organizássemos... nos informássemos...

Claro que aparentemente esses políticos de saúde mental parece que ficam felizes com a nossa desinformação. Já que eles não fazem nenhum esforço para informar os usuários sobre seus direitos. Assim nós não reclamamos, e logo eles não precisam fazer nada.

No momento o CAPS Rubens Corrêa está passando por obras, e os trincos foram colocados nas portas dos banheiros, além de outras obras, como pintura e outros serviços de manutenção. E apesar do péssimo hábito de chamar a gente de PACIENTE, a equipe de profissionais está bem entrosada.

O pessoal que trabalha na faxina, na cozinha, na segurança, estão todos tratando bem aos usuários. Assim como os psicólogos, enfermeiros, etc. Claro que falta psiquiatra no CAPS. Mas por mim tudo bem. Se for pra vir um psiquiatra COMETA melhor que não venha ninguém.

Quanto às oficinas eu devo sempre lembrar que é bom que a nutricionista e a administradora tenham continuado trabalhando no CAPS, já que elas coordenam uma oficina de grande importância que é a oficina de sexualidade.

Ultimamente tenho participado da oficina de futebol, coordenada por uma psicóloga. Até tivemos um jogo contra o CAPS de Bangu, e conseguimos arrancar um ótimo resultado: perdemos só de 10 a 3. Ãh, pode ter certeza que eu sou o maior perna-de-pau do time.

O único problema do futebol é que nos treinos uns estagiários participam para completar o time, e tem uns psicólogos que deixam até pernas-de-pau como eu fazer gol. Acho que é uma terapia para a gente se sentir melhor...

PAZ E LIBERDADE.

4 comentários:

  1. Anônimo1:08 AM

    os usuários são pacientes sim. e isso não é orgulho, é consciência.
    vc é inteligente, para de enganar vc mesmo. o usuário saúde mental só quer ser paciente na hora dos benef´´isios. cuidado com isso, amigo. não tem de se orgulhar de ser paciente, vc tem de para de ser preconceituoso c/ vc mesmo e seja paciente.
    e vc tem de parar de se orgulhar de dizer que é usuário de saude mental.
    O Caps é para jente que trata com psiquiatra si não, não tem sentido o usuário ficar la.
    DOENÇA MENTAL NÃO É VERGONHA.
    Valorize vc e o seu tratamento. parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  2. "os usuários são pacientes sim. e isso não é orgulho, é consciência." Me desculpe, mas isso é cliché.

    Você que diz esse tipo de coisa, você leu o que eu escrevi sobre o momento que é adequado para chamar alguém de paciente?

    Você sabe o que é CAPS?

    Caso você não tenha tido muito contato com CAPS, você ao menos seguiu os links que eu deixei para obter mais informações sobre isso?

    Você leu livros de usuários, clientes de saúde mental como Austregésilo Carrano e Weingarten?

    Se você pensa de acordo com o comentário postado acima, dificilmente você fez uma das coisas que perguntei acima. Talvez até seja usuário. Mas não é muito consciente, infelizmente, se não se informa de seu próprio universo.

    Se você está num CAPS, o mínimo que você pode fazer é se informar sobre seus direitos e deveres lá. E não sair engolindo tudo que os profissionais de lá falam.

    Daí que se você diz coisas como as do comentário acima, você diz coisas que não conhece. Daí temos que admitir que você que é preconceituoso, não é? E não quem diz coisas que você não quer ouvir.

    E o que chamamos de doença mental não é vergonha, vergonha é a forma que tratam as pessoas que tem essa doença mental.

    (Eu prefiro chamar doença mental de estigma mental. Mas isso é assunto para outra hora.)

    Eu não tenho orgulho de ser usuário. É apenas o termo mais adequado. Qualquer um que usa o SUS é usuário.

    Não uso o termo cliente, como alguns profissionais de saúde mental e usuários preferem, pois cliente fala de um FREGUÊS que é super bem tratado. Infelizmente não é o que acontece no SUS.

    E quanto ao "Valorize vc e o seu tratamento." Acorde, pois não existe nenhuma forma maior de se desvalorizar do que passar a vida sendo chamado de paciente e achar isso normal.

    Obrigado pelo comentário e pela audiência.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo10:15 AM

    "Você que diz esse tipo de coisa, você leu o que eu escrevi sobre o momento que é adequado para chamar alguém de paciente?"
    no seu mundo, Ezequiel, vc inventa o modo de agir e reinventar palavras, infelizmente o mundo não gira ao nosso redor.
    vc não é paciente, não está doente e não deve usar serviços para doentes. Se não é assim, os Caps deverão atender a todas as pessoas doentes e normais.
    Cliche são as suas palavras e o caso Austregésilo é o mais chato,batido, vc não tem outro exemplo, não. Todo usuário só tem esse caso para falar.
    vc é melhor do que os exemplos que cita.
    O seu blog é mais interessante do que a obra do defunto Austregésilo.
    Pára de dar audiencia para defunto.
    Vc não gosta de tratar a sua saúde e tem vergonha.
    Se vc é portador de sofrimento mental, sinto muito, vc é paciente e se não gosta disso, sinto muito.
    vc prefere chamar a doença mental de estigma mental para esconder o seu complexo de inferioridade e a sua fantasia de ser normal e vc pensa que tudo tem de ser do seu jeito, como se dizer que não é doente fosse acabar com a sua doença.
    Se vc é normal saia do Caps para dar lugar para os doentes que não tem vergonha de ser tratado como doente.
    O que eu quero ouvir é o doente aceitar a sua doença e tratar, caso contrário, não perda o seu tempo e o do técnico que trata vc no Caps.

    ResponderExcluir
  4. Hum... detesto contráriá-lo (a), mas o mundo gira ao nosso redor, sim.

    E isso é outro cliché, hehehe! Se não existe a gente, que valor tem o mundo? O mundo gira ao seu redor, sim.

    Cada um tem seu mundo particular, seu infinito particular, e nele é o protagonista, o deus, o rei. É uma realidade que não dá para negar.

    É sempre bom discutir, mas eu acho que fica melhor quando colocamos substância em nossas discussões. Já discuti com várias pessoas, e elas nunca trabalham para conseguir fontes, para apoiar o que dizem.

    E quando eu mostro fontes elas dizem que eu sou teimoso e que elas têm certeza do que dizem (mesmo sem fontes), mas no fim acabam não verificando as fontes.

    Essas pessoas querem encontrar a verdade ou ganhar a discussão? Isso me preocupa, pois algumas pessoas que não verificam as fontes ficam com as idéias preconceituosas pelo resto da vida, achando que estão certas.

    Portanto, mesmo quando você achar que está certo (a) verifique as fontes.

    Obrigado pelos comentários a meu respeito, mas eu sou realista. Eu até sou hábil para colocar o blog numa posição confortável, em destaque até, mas o Carrano tem uma característica especial: CARISMA. Assim como outros, politicamente esse é o ponto chave.

    Respondendo a sua curiosidade, eu realmente acho que eu não deveria continuar no CAPS, mas continuo pois vi que sou muito útil lá, e que vale o sacrifício de tolerar esse "tratamento" maluco se for para ajudar outros.

    Não sei se você é usuário, técnico ou familiar, mas você coloca o usuário em uma situação complicada.

    "Como se dizer que não é doente fosse acabar com a sua doença"? Precisamente isso. Já ouviu falar da força do pensamento positivo? A propósito, quem criou essa teoria foi um psicólogo, se não me engano.

    Têm pessoas que não tem nenhuma crise há 30 anos. Não acha que é um absurdo dizer que tal pessoa é "portadora de sofrimento psíquico"? Ela não está tendo "sofrimento psíquico" há 30 anos, então ela é portadora de quê? De um estigma mental, é claro.

    Estigma mental que você pode manter, se quiser. Só não sei que benefício você pode tirar disso.

    Melhor seria valorizar mais o seu "eu".

    Para terminar, eu pude ver pelo que você escreveu que você leu mais do que eu imaginava. Obrigado, me sinto lisonjeado, envaidecido!

    Preparei uma postagem com um texto que vai ajudá-lo a entender o que quero dizer com o estigma do "paciente". :)

    ResponderExcluir

Eu sempre publicarei todo tipo de opinião e ponto de vista. que NÃO INFRINJAM AS LEIS DO MUNDO, nem as leis da Internet.

Não são toleradas ofensas a nenhuma das pessoas que comentam.

Links para blogs e sites que falem de saúde mental são bem vindos, desde que não sejam sites criados para vender psicotrópicos.

As informações dispostas aqui são CONFIRMADAS através de várias fontes. A qualidade obtida aqui não se consegue da noite para o dia, mas sim de uma experiência de VÁRIOS ANOS.

Portanto, se houver algo a ser corrigido aqui, publique nos comentários, mas COM PROVAS, como eu faço.

Algumas pessoas, ao tomar medicações psiquiátricas ou drogas ilícitas, não sofrem efeitos adversos significativos (como vemos algumas pessoas que fumam a vida toda e morrem de velhice.) Portanto verei como normal algumas pessoas dizerem que nunca sentiram nenhum efeito colateral ao tomar determinado psicotrópico.

Mas qualquer indivíduo que escrever algo contra as informações técnicas mostradas aqui deve PROVAR IMEDIATAMENTE na mesma mensagem, do contrário terei que deletar.

Se quiser me contatar pode ser através de um comentário.

This web site is mostly about human rights, health, music and curious videos from Youtube. If you have any of these your contribution is most welcome.

Links to web sites that sell MEDICATION ARE UNWELCOME.

But if your site is interesting and useful just submit the address, WITHOUT ANY EXTRA ELECTRONIC LANGUAGE, such as HTML or the like. Example, http://pacientepsiquiatrico.com is OK, is accepted. But [url="http://pacientepsiquiatrico.com"] would be considered spam, because of the extra electronic language [url. I'll check it out and link to it if I approve it. Thank you