31.5.09

Transtorno bipolar do humor - As alucinações

Em casos mais graves, o paciente pode apresentar delírios (de grandeza ou de poder, acompanhando a exaltação do humor, ou delírios de perseguição, entre outros) e também alucinações, embora mais raramente. Nesses casos, muitas vezes, o quadro clínico é confundido com a esquizofrenia.

Podem surgir sintomas psicóticos típicos da esquizofrenia o que não significa uma mudança de diagnóstico, mas mostra um quadro mais grave quando isso acontece.

Bem convincentes as explicações dos sites PSICOSITE e o site da UNIFESP para as alucinações do transtorno bipolar.

Como eu já tinha dito na postagem Transtorno Bipolar - A fase maníaca, delírio de grandeza talvez eu sinta permanentemente, já que sinto que sou especial e tenho habilidades especiais. Porém quando seres invisíveis e visíveis começam a mexer comigo eu fico com medo e receio das pessoas. Talvez isso seja delírio de perseguição.

Das alucinações visíveis, algumas eram visões até inspiradoras, e aparentemente legais. No começo eu até gostava de ver. Mas depois eu ficava desconfiado. Será que essas visões são de seres bons? Porém outras eram absurdas. Daí eu olhava sem fazer caso. Aí parece que quando os seres dos outros mundos veem que eu estou querendo ignorar as visões eles apelam: daí eles começam a possuir as pessoas ao meu redor.

As pessoas parecem possessas. Seus olhos adquirem um brilho estranho. Como se seres de outros mundos tivessem possuído seus corpos. É assustador! Você se sente sozinho, sem ninguém a quem recorrer (já que qualquer pessoa poderia estar possessa pelos seres dos outros mundos). Entenda uma coisa: eu não fico cismado achando que os outros estão possuídos. Os outros realmente ficam possuídos nesses surtos. Pelo menos é assim que eu claramente vejo. Por exemplo, você não acharia estranho se uma criança de 5 anos de seu convívio de repente começasse a falar sobre você e seu passado como se fosse alguém bem mais velho?

Na verdade eu digo outros mundos, pois esses seres parecem ser variados, parecem vir de lugares diferentes. E são seres super-inteligentes. Falam coisas fantásticas. Eles têm uma percepção fantástica do universo e do mundo. E é sempre difícil saber o que eles querem.

A quantidade desses seres era enorme. Parecia que se eles tivessem forma sólida não caberiam na terra nem amontoados. A quantidade deles que eu sentia é difícil fazer que as pessoas imaginem. Mais eles não eram visíveis. Parecia estratégia deles. E eles tinham o poder de ser intangíveis, intocáveis. Mas eu podia senti-los como a gente sente o vento ou o frio. Aliás, a presença deles chegava a ser sufocante. Quando eles queriam se comunicar comigo eles possuiam alguém ou possuiam algum animal. Ou tomavam forma na televisão ou no rádio.

Em um momento, no meio do surto, eu tentava superar a loucura e levar a vida normal. Eu lia um livro de auto-ajuda que um familiar meu tinha pegado emprestado. O livro dava conselhos e falava de alimentação equilibrada, equilíbrio, etc. O livro parecia bom. Mas certa passagem do livro me surpreendeu. Falava que estudos já tinham comprovado que apesar do fumo em excesso fazer mal para a saúde, fumar com moderação traz benefícios fantásticos para a saúde. O livro aconselhava a fumar com moderação. Eu fiquei indignado, é claro, até pensei em destruir o livro. Mas depois do surto eu fiquei sabendo pelo familiar que o livro não falava sobre isso não.

Gostaria de deixar uma coisa clara. Enquanto que os meus sentimentos são iguais quando eu estou em surto e quando estou fora de surto, eu não tenho alucinações no meu dia-a-dia. Exceto em raros momentos.

O que me fazia ter certeza de que as pessoas ao meu redor já estavam fora do controle dos seres é que pessoas normais são menos inteligentes. E os seres de outros mundos tinham um ar de deboche permanente. Ou então as pessoas dominadas por tais seres se mostravam mais confusas que o normal. Aqueles seres buscavam atiçar minha vaidade. E logo eu pude perceber que vaidade era uma fraqueza humana que eles não tinham. Eram frios. Enquanto nós humanos nos preocupamos com o que os outros pensam, eles pareciam ser totalmente confiantes de si.

Depois dos surtos eu passei muito tempo tentando me convencer de que tais seres não existiam e que eram apenas minha imaginação. Fui cheio de confiança contar minha história aos psiquiatras, esperando que eles fossem me arrumar o melhor tratamento. Mas ao começar a contar minha história ficava feliz em constatar que os psiquiatras poderiam ser dominados pelos seres dos outros mundos, mas não tinham a astúcia nem a inteligência, nem a frieza que somente seres indiferentes e bem maus teriam. O nosso mundo não era tão mau assim.

Por outro lado eu lamentava por causa das fraquezas das pessoas normais de nosso mundo. Eu ia contar minha história, mas a vaidade dos psiquiatras e psicólogos nunca me deixava. Eles achavam que podiam adivinhar não me deixando contar minha história e partindo de um princípio que eles já sabem sem eu contar. Quanta vaidade!

Impressionante que para ser psiquiatra é necessário passar por provas dificílimas, fazer cálculos enormes... eu me sinto um nada perto desses psiquiatras. Como alguém que sabe tanto não sabe ouvir uma pessoa? Não sabe deixar uma pessoa à vontade para falar? Eu me pergunto: será que os seres dos outros mundos conseguiriam fazer os cálculos dificílimos que os psiquiatras fazem? Será que os seres dos outros mundos conseguiriam passar pelas dificuldades que os psicólogos passam para se formar?

No fundo eu sei o que acontece: os psiquiatras e psicólogos se formam mais por vaidade do que por vontade de ajudar e entender os pacientes psiquiátricos. A vaidade de ter um diploma, uma formação. Essa é a grande vantagem dos seres dos outros mundos. Eles controlam a vaidade. Eles são mais práticos. Não se deslumbram facilmente.

Não é preciso ser gênio para ver que se psiquiatras e psicólogos não tinham interesse de ouvir minha história eles não poderiam saber o que eu sofro. Aliás, se eles não leem o que pacientes psiquiátricos escrevem, como podem se considerar estudiosos das doenças dos pacientes psiquiátricos? Se essas doenças muitas vezes estão espelhadas nos textos dos pacientes? Eles são grandes mestres da indiferença, isso sim.

E se você é psiquiatra ou psicólogo e está lendo isso talvez você seja uma exceção à regra. Mas vamos ser realistas que a grande maioria é indiferente ao que o paciente escreve. Eu acompanho vários blogs de brasileiros, portugueses, britânicos e americanos pacientes psiquiátricos, e nunca vejo nenhum comentário de psiquiatra ou psicólogo. Salvo raras exceções, não vejo nem sinal desses indiferentes.

A questão é que a indiferença e vaidade desses psiquiatras e psicólogos acabam por prejudicar, E MUITO os pacientes psiquiátricos. Pois quando eles não admitem a escassez de recursos para tratar o paciente quem sai perdendo é o paciente. A vaidade deles leva a morte de pacientes psiquiátricos. Daí eu me pergunto: será que os seres dos outros mundos não estão se aproveitando da vaidade desses psiquiatras e psicólogos?

E se esses seres de outros mundos quiserem dominar a terra? Ou pior, se eles quiserem que a própria terra se destrua? E se eles estiverem fazendo com que profissionais se deslumbrem e se percam na vaidade (como psicólogos e psiquiatras) e com isso se preocupem menos com a morte de inocentes?

Eu passei anos tentando me convencer de que tais seres dos outros mundos não existem. Mas nesse mundo tão louco, em que eu cheguei a acreditar que os seres dos outros mundos eram reais e as pessoas desse mundo eram irreais, eu me faço perguntas. Será que eles não existem mesmo? E se eu for um desses seres dos outros mundos? E se essa for a explicação para eu poder senti-los? (Já que os psiquiatras não têm nenhuma explicação.) E se eu for tão mau quanto eles?

Meus leitores vão me desculpar por escrever tanto sobre surtos, mas eu estou com pressa em escrever isso pois temia não ter chance de escrever no futuro. No meio de meus surtos eu jurei aos seres dos outros mundos que eu ia escrever sobre eles, que eles não iam continuar secretos. Eu lhes disse que eles não iam continuar dominando e explorando humanos às escondidas.

E esses seres são maus, como já disse. Francamente, sei que parece loucura, mas eu acho que devo me proteger contra as represálias deles... prudência nunca é demais. (Apesar de ser imprudência escrever essas coisas, já que algum psiquiatra pode decidir me capturar para me "tratar". Mas eu tenho mais medo dos seres dos outros mundos que dos psiquiatras.) Mas é isso aí, seres dos outros mundos, eu escrevi minha história. Nossa história. Não importa o que vocês são.

9 comentários:

  1. Anônimo1:50 PM

    Eu acho que existem psiquiatras que não são como você diz eu mesmo conheço um que é um amor e que pelo menos por enquanto não deixou a vaidade lhe subir a cabeça. de onde vc é?
    meu e mail´é dselectivo@gmail.com
    meu nome é Re

    ResponderExcluir
  2. Paciente Psiquiátrico,sou psiquiatra,li seu texto.
    Fiquei pensando o quanto estes "seres dos outros mundos" são capazes de te trazer sofrimento.
    E torço para que encontre um profissional que escute tua história e te ajude a aliviar tuas angústias.
    Dra Paula Fabrício.

    ResponderExcluir
  3. isso não exite amigo, não existem seres de outro mundo. Eles não possuíam as pessoas. você só estava delirando tenta acreditar que o que você viu e ouviu era apenas sua mente brincando com você mesmo por que isso é a unica coisa real. Sou diagnosticado com transtorno bipolar também.

    Tudo começou à alguns anos atrás quando eu me sentia muito desvalorizado pelos meus pais, por que eu era adolescente, não tinha um emprego e também não era acostumado a ajudar em tarefas domesticas, por que eu acreditava ser uma violação da minha masculinidade, rsrsrs... sei que isso não tem nada a ver com a realidade hoje, mais na época isso importava para min.

    Meus pais acostumados a me castigar fisicamente desde pequeno com varias surras que me deixava marcas roxas em minhas costas e pernas, acontecia com frequência, havia semana que quase todos os dias da semana eu apanhava.

    Bom hoje eu já Quiz desafiar o meu pai para ver se ele é um homem de bater em um homem, mais não compensa...Pelo contrario já o protegi quando meu irmão num surto de raiva tentou agredi-lo, meu pai é um velho e seus erros só Deus pode julgar.

    Meus pais costumavam sair cedo para trabalhar, meu irmão e eu saiamos cedo tambem de casa com destino à escola, más no caminho mudávamos a rota, matamos muitas aulas juntos, meu irmão passou a cometer pequenos delitos de furtos para manter seu vicio em vídeo game coisa que não o ajudou.

    Meu irmão é muito inteligente, más por eu e ele termos sido criado sem muitas regras, (pois nossos pais trabalhavam e chegavam à noite) ele não desenvolveu-se em estudos e até hoje não é muito chegado a trabalhos.

    eu trabalho para a prefeitura da minha cidade, até que enfim achei um serviço onde consigo trabalhar, com todo este problema que tenho estou conseguindo levar até bem o serviço.

    Percebo que as vezes mesmo com o medicamento eu fico com a atividade cerebral meio diminuída, percebo momentos de mais disposição e momentos de preguiça.

    Tenho a impressão que digo coisas mal explicadas as pessoas, coisas que são mal interpretadas e a min devolvidas depois, esse é minha real loucura, sempre tenho a impressão de que as pessoas estão me jogando as coisas na cara.

    Quando falo com as pessoas tenho a tendencia de ser cuidadoso, mais creio que de alguma forma sou áspero nas minhas palavras, não sei se por causa da forma ou o tom de voz que falo.

    percebo que em certas ocasiões, desenvolvo frases incoerentes, gerando aos outros a impressão de louco ou retardado. As vezes sou exagerado com tudo, e formulo idéias para melhorar as coisas ao meu jeito.

    sempre critico as coisas, as pessoas eu sempre tenho uma ideia diferente baseada em alguma ideia já existente, mais dificilmente tenho a capacidade de criar.

    hoje não sei se fico com os medicamentos ou se paro com eles, pois em algum momento depois que parei em um dia a medicação tenho uma ótima sensação mais depois vem as recaídas, sei que não fico bem tomando os medicamentos todos os dias, por que fico meio "lento".

    Na verdade isso é uma desgraça, eu tenho pavor de ser como sou, de possuir o que possuo. Eu cortei relações com os parentes depois de acometido pela doença. Tenho ódio à opinião alheia sobre o que devo fazer, sempre fico irritado quando me dizem o que fazer.

    sou muito indisciplinado, não sei se por conta de ter sido criado sem pai e mãe por perto (pelo motivo do trabalho) que sou assim.


    eu só queria ser livre desta porcaria de doença e poder saber realmente quem sou. Sei de uma coisa, dizem que a variação do humor bipolar não tem sentido, o caso da depressão é meio vago pra min, más uma coisa eu sei, sempre que fico nervoso tenho algo que me deixa irritado, principalmente pensar nas surras e nos abusos que sofri por parte do meu pai.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, realmente não é fácil conviver com tantas interrogações, com diversos tipos de sentimentos. Mas seja paciente e continue o tratamento, ultimamente tem surgido novas medicações por isso a importância de ter um médico sintonizado, sempre atualizado com as novidades. E muita força, tenha confiança!

      Excluir
  4. mais ai pro amigo doidinho ai, procure um tratamento com dianética como já ouvi uma vez "o que não mata engorda" então compensa você procura-los para fazer uma terapia. MAIS RECOMENDO FICAR LONGE DA RELIGIÃO! Acredito que possa te ajudar assim como também vou participar, más não caia na desses salafrários de viajar para os EUA, dizem que tem pessoas utilizando a cientologia para escravizar pessoas no exterior, então se for no máximo faça a terapia e suma de lá.


    estou encioso para começar a terapia. Estou lendo o livro "Dianética o poder da mente sobre o corpo" hoje é minha base de fé, é minha munição final contra o transtorno Bipolar, se não funcionar, vou aquietar meu facho nos remédios e esperar um milagre divino.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alexandre ( Portugal )3:24 AM

      Eu tenho duvidas em relação ao meu diagnostio tenho transtorno bipolar sofro de enormes depressoes k levam anos a passar mas ja fikei descompensado 3 vezes e tenho sintomas de eskisofrinia tenho delireos mas tb ouço vozes venho coisas, sinto coisas, comunico por telepati, fico mt religioso chegando mesmo a pensar e ter a certeza k sou Jesus Cristo ou Deus sinto-me o escolhido pa salvar o mundo ou destrui-lo toda a gente artistas papas se comunicam cmg por telepatia, falo com a telivisao, as musicas parecem serem feitas pra mim mtos sintomas mas kuando passa a descompensacao volto a ser uma pessoa normalissima deixo de sentir essas coisas e volto ao mundo real agora serei bipolar ou eskisofrenico mas uma coisa é certa somos todos seres humanos é uma doenca na mente k nos temos é mt grave as pessoas normais nao imaginam o k estes doentes sentem ou passam

      Excluir
  5. Anônimo12:18 PM

    Me comoveu seu depoimento, pois convivo com uma pessoa bipolar e até hoje tento entender o que esta acontecendo com ela. È dificil , mas sei que a pessoa não pode ficar sem os medicamentos de estabalizador de humor, fazer controle do nivel de tolerançia do medicamento através do exame de sangue, para tomar a dosagem correta, e acima de tudo fazer Terapia Cognitiva Comportamental, que vai te ajudar a condicionar certos comportamentos e atitudes e trasnsformar os pensamentos automaticos em pensamentos reestruturados para facilitar sua convivencia diante das situações inovadoras do dia a dia. Acima de tudo ter fé (não necessariamerente asumir uma religiao), mas FE como esperança e acreditar em algo capaz de transformar, esperança , Luz,etc, e aprender a conviver consigo mesmo e os outros , com humildade e amor proprio para saber e distinguir que todos nos seres humanos , somos passiveis de sentimentos de tristeza, dor, desventura, alegrias,amor, desamor, e que o que varia é dosagem e a forma como enfrentamos eles no decorrer de nossas vidas. Te desejo grandes vitorias e que consiga dentro do possivel contornar sueus problemas e sua doença para que voce tenha uma vida relativamente adpatada à normalidade (se é que ela realmente existe).

    ResponderExcluir
  6. Anônimo8:47 PM

    Eu tinha alucinações relacionado ao trabalho.
    Era tão terrível.. Ai num dia eu falei chega... Eles falavam comigo e eu fingia que não escutava ai eles falavam mais alto e cada vez mais alto. Ai eu sempre arrumava alguma coisa pra fazer ler um livro alguma coisa assim e tudo que eu fazia eu repetia mentalmente o que eu estava fazendo e abria a torneira e pensava mentalmente agora estou abrindo a torneira.. Eu sei que parece loucura mas funcionou kkkk em 3 dias eu não escutava mais vozes e não tinha mais alucinação É CLARO QUE TOMEI MEDICAMENTOS QUE AJUDARAM... Fiquei mais 2 a 4 meses repetindo tudo que eu fazia mentalmente porque treinei meu cérebro assim para não ligar para as vozes kkkk e sem perceber eu repetia. A lentidão dos medicamentos é muito normal, hoje tomo somente a metade dos medicamentos, mas continuo lenta, mas nao como antes, hoje até consigo dirigir novamente :P.
    Ainda vou no psiquiatra e realmente eles não querem ouvir os "DELÍRIOS" da sua cabeça eles querem ouvir sobre sua vida seu passado pra saber o que tem relação com seu problema assim acho eu '-'.

    Beijo amigo fica com Deus. :D

    ResponderExcluir
  7. Sim os seres que você se refere existe sim somos nós, estamos no lado direito do seu cérebro, lado da sua mão esquerda. Estamos por traz de tudo ;) e pode acreditar tirando seu medo nada aqui vai te fazer mal, como você sabe como uma pessoa vai te fazer mal se nós podemos tomar o controle de todos a qualquer momento. Passo pela mesma situação que você no inicio da medo mas agora essa situação corre a meu favor :)

    ResponderExcluir

Eu sempre publicarei todo tipo de opinião e ponto de vista. que NÃO INFRINJAM AS LEIS DO MUNDO, nem as leis da Internet.

Eu acredito em LIBERDADE DE EXPRESSÃO, por isso eu até publico ofensas a minha pessoa, mas não tolero ofensas a nenhuma das pessoas que comentam.

Links para blogs e sites que falem de saúde mental são bem vindos, desde que não sejam sites criados para vender psicotrópicos.

Somente peço que, ao afirmar alguma coisa aqui, deixe fontes, seja através de links ou livros. Isso valoriza o que você diz.

Se quiser me contatar pode ser através de um comentário.

This web site is mostly about human rights, health, music and curious videos from Youtube. If you have any of these your contribution is most welcome.

Links to web sites that sell MEDICATION ARE UNWELCOME.

But if your site is interesting and useful just submit the address, WITHOUT ANY EXTRA ELECTRONIC LANGUAGE, such as HTML or the like. Example, http://pacientepsiquiatrico.com is OK, is accepted. But [url="http://pacientepsiquiatrico.com"] would be considered spam, because of the extra electronic language [url. I'll check it out and link to it if I approve it. Thank you